Braincast 121 – Medidores de Vida

Um debate sobre os sensores e aplicativos que quantificam as nossas atividades e hábitos

25
notas
0
likes
0
Tweets
0
Pin it
25
notas
0
likes
0
Tweets
0
pin it

A tecnologia permitiu uma nova cultura de medir as nossas atividades do dia a dia. Com a crescente oferta de pulseiras, sensores, aplicativos e ferramentas web, qualquer um pode quantificar o que come, como trabalha, dorme, dirige e consome.

No Braincast 121, discutimos como o auto-conhecimento através de dados pessoais pode ajudar a melhorar nossa vida. Carlos Merigo, Saulo Mileti, Alexandre Maron e Daniel Sollero relatam suas experiências com Nike Fuelband, Fitbit, Up, SleepCycle, RunKeeper, 23andMe, Reporter, Foursquare, Letterboxd, e tantos outros devices e apps do tipo.

Faça o download ou dê o play abaixo:

> 01m30 Comentando os Comentários

> 13m50 Pauta principal
> 1h10m00 Qual É a Boa?

========

Workshop9: Design e Estética

Nosso curso de Design voltou! E ainda mais: chegou o Módulo 2, de Estética.

Apresentado para mais de 600 alunos, o curso de Design visita a história dessa ciência e abre discussão para uma real compreensão sobre cores, uso de tipografia, construções baseadas no sistema áureo, suas modulações, metodologias de trabalho e muito mais.

Já o módulo 2, curso de Estética, vai fundo no estudo filosófico e prático, analisando peças criativas (do design, publicidade e até mesmo cinema), para compreendermos essa fundamental lógica dos símbolos que nos cercam.

>> INSCREVA-SE!

========

Qual é a Boa? em vídeo!

========

Críticas, elogios, sugestões para [email protected] ou no facebook.com/brainstorm9.
Feed: feeds.feedburner.com/braincastmp3 / Adicione no iTunes

Quer ouvir no seu smartphone via stream? Baixe o app do Soundcloud.

OUÇA TAMBÉM
COMENTE
  • Marvin Sandom

    E o Cris Dias, não está num Braincast com esse tema? Nooosssaaa!!!! rs

  • Felipe Cachopa

    ô Saulo, adiciona uma opção de curso online, muita gente do interior compraria, ou não…mas espero que sim.

  • Henrique Pinheiro
    • http://www.alexmaron.com.br Alexandre Maron

      Boa, Henrique. Esse mesmo!

  • http://huehue.com.br/ Iago Macedo

    já que vocês citaram as tais smartbands, só queria mostrar essa pulseira brasileira http://dobem.com/ que é bem completa e parece ser algo bacana. Tem funções iguais as lá de fora mas em pt-br. Eu gosto dessa coisa de gravar a sua vida, mas sofro do mesmo problema que a maioria, acho. Usei MoneyTron (app financeiro) e na primeira semana foi excelente, consegui manter os custos em ordem, mas logo depois fui esquecendo, o mesmo aconteceu como o SleepCycle que monitora o sono. A necessidade de “ativar” a função, que é aquela coisa de colocar as calorias no app, bater fotinha do cupom fiscal é o que faz a coisa ficar chata. Esperando um dia que um aplicativo de finanças possa se conectar com meu cartão de crédito, me fornecer estatísticas. Ia ser tão bom.

    • Daniel Sollero

      Dá uma olhada no Guiabolso.com.br, Iago. Ele se conecta com seu cartão e contas e é bem interessante. Mas mesmo assim você ainda tem que ir lá de vez em quando para ajustar a categoria de algumas despesas.
      Independente de quão automatizado o app seja, nós sempre teremos que ajustar alguma coisa. Até o Nike+ vc tem que calibrar antes ou ele calcula errado os kms que vc já correu.
      Acho que totalmente automatizado só se nós formos robôs também ;)

      Ah! conhecemos a Maquina da dobem. Se não me engano tem post aqui no B9 sobre ela. Acho que acabamos não citando por esquecimento mesmo. Era muito app para falar.

      • Anderson Santos Silva

        Esse eu vou testar porque acho que já usei todos, só fiquei com um pouco de receio do uso de senha eletrônica.

      • http://huehue.com.br/ Iago Macedo

        vou testar o guia bolso, parece interessante. E sim, de fato, só teremos essa automação quando formos robôs, algo que espero que não chegue logo, mas acaba que nem acho essa necessidade de configuração inicial tão grande assim, tudo bem você calibrar uma vez, agora é um problema ter que fazer isso sempre. O SleepCycle por exemplo é muito bom, mas sempre ter que ir lá e iniciar o “trackeamento” é chato e acabo esquecendo, esses dias vi no kickstarter (aquele site onde as mágicas acontecem) um dispositivo que começa a monitorar o seu sono com um simples gesto perto dele, algo mais intuitivo que pegar o celular e abrir o aplicativo. Claro que a plataforma de celular não possibilita essas coisas por enquanto, mas acho que facilidades como essa podem ajudar nesse mundo dos medidores.

  • Tullio Cunha

    O exemplo mais bizarro dessa cultura de medir as coisas é esse:
    http://aprilzero.com/

    O cara largou o emprego para desenvolver esse site e medir toda a vida dele.

  • Anderson Siqueira

    Caraca, alguém sabe que som é esse na abertura do cast? Muito foda!

    • http://www.colosseo.com.br saulomileti

      Fala, Anderson. É um clássico do Wu Tang Clan: se chama C.R.E.A.M.

  • https://www.behance.net/rafaelveiga Rafael Veiga

    Uso o SleepBot para Android desde o ano passado. Tenho gravado todas as minhas noites de sono, desde a hora que vou dormir até a hora que eu acordo. O app me dá gráficos e informações úteis, como dívida de sono atual e qual é a média de horas dormidas por semana.

    Não tirei muitas conclusões com os dados e por enquanto ele não alterou minha rotina de sono (muito por minha falta de comprometimento em dormir melhor), mas ele me ajudou a perceber alguns padrões que vinha praticando, como dormir todo dia depois da meia noite e servir como a explicação do meu cansaço durante uma semana que dormi abaixo da média.

    Acredito que toda esta quantidade de dados (disponível para ser exportada em planilhas do Excel no site oficial), poderá me ajudar algum dia em uma consulta médica ou em um exame.

    Não acredito que virou um “problema” a mais para cuidar, pois só preciso apertar um botão quando me deito e outro quando acordo, o que acabou virando uma rotina e já faço no automático.

  • Felipe Nonato

    Qual o nome do Livro do Wall Street Journal que o Daniel citou no Qual é a boa?

    • http://oscarnogueira.com/ Oscar Nogueira Neto

      Opa. Eu acho que é Guide to Information Graphics.

  • Anderson Santos Silva

    Carlos Merigo faz uma lista rápida, definitivamente você é o Zé App, kkkk
    Concordo com o Saulo Maleti, acho que essa gama enorme de aplicativos pra tudo só faz perdermos mais tempo.

  • Aryel Meireles

    Fala Brainscasters (ou seria brainstormers? Já me esqueci)!

    Conheci o B9 há pouco tempo e o Braincast há muito menos. Comecei a acompanhar a partir do cast sobre Plágio e Cópia.

    Estudo em uma cidade bem distante da que moro, são 4 horas de viagem para ir e mais 4 horas para voltar, logo que conheci o Braincast/Anticast resolvi baixar para ouvir em minhas jornadas e estou gostando bastante, principalmente porque eu não conheço absolutamente nada de qualquer assunto que vocês resolvem discutir. Podem me xingar, mas eu nem conhecia Alfredo Acerta Frango (Só sabia que existiu). Mas o interessante é isso, a cada cast de vocês eu já vou aprendendo coisas novas que eu nem imaginaria me interessar um dia.

    O meu medo é começar a ouvir seus programas dos mais novos para os mais velhos e ver (ou ouvir) vocês ficando jovens tipo… Benjamin Button.

    E eu sei que quem comenta não tem direito ao Qual é a Boa, mas vou deixar pro pessoal que gosta de ler comentários como eu: Ontem eu resolvi mudar um pouco o estilo musical e resolvi ouvir algo diferente… O Battle Born do The Killers que é se não me engano de 2012 é bem legal, não tem alguma música que eu tenha odiado, e mais, viajar olhando a Serra de Caraguatatuba (ou qualquer estrada que você pegue e tenha algo além de mato pra ver) ouvindo esse álbum é muito bom. Recomendo, e se você não gosta de The Killers, não tem problema você pode apenas descartar este comentário.

    E eu já ia me esquecendo de elogiar vocês. Parabéns pelos programas, e muito sucesso para vocês e os convidados.

    – Ficaria honrado se vocês lessem este comentário no próximo programa hehe -

  • Rodrigo Bodas

    Gente, pelo menos coloca no qual é a boa ou em algum lugar o nome direito dos app que foram falados. Quero testar e não consigo achar na Apple store…

  • Henrique Kieckbusch

    Não sei se é o Daniel Sollero ou o Maron; um deles tem a voz muito parecida com o Alexandre Paim do standup.

  • Dario Joffily

    ahoy! meu nome é Dario, 21 anos, estudante de publicidade em brasília e aventureiro nessa selva confusa do design, criação, arte e etc.

    sou ouvinte regular e adoro o rumo das conversas de vocês, mas achei curioso como esse último programa não abordou a questão da privacidade de forma mais contundente. algumas vezes foi comentado como é preciso ceder nossas informações, mas diante de como muitos se posicionam contra a maneira pela qual o google e o facebook fazem dinheiro com “nossas informações”, fiquei curioso pra saber a opinião de vocês. sempre comento entre amigos que nossa sociedade nos fez sonhar com uma casa que nos receba no fim do dia com a tv ligada no nosso programa favorito e um capuccino pronto, mas parecemos esquecer que pra isso precisamos dizer que gostamos de cappucino e que aquele é o nosso programa preferido. só que ao mesmo tempo sei que é mais complexo que isso e por isso o comentário.

    no mais, espero continuar ouvindo vocês e sucesso a todos!

  • http://www.spamcast.com.br/ Leandro Marques de Almeida

    Mais uma vez por aqui, sou Leandro, podcaster (dessa vez sem jabá) de Mogi das Cruzes SP.

    Como entusiasta da mídia “podcastal”, ouço uma média de 12 podcasts por semana. Como ouvinte e editor, tenho uma certa propriedade para parabenizar o Braincast por uma fato… que talvez vocês não estejam muito familiarizados, mas que é um pouco óbvio para quem consome essa mídia com periodicidade e uma certa variedade.

    De alguns meses para cá, baseado nos temas, venho sentindo nos podcasts mais “influentes” da nossa podosfera, um empobrecimento de conteúdo. Pessoas que no passado nos cativaram com uma proposta de assuntos interessantes e reflexivos, hoje parecem ter aberto o “gerador de lero lero” para cumprir a tabela de uma publicação semanal. Isso quando não se valem de convidados que já possuem um conhecimento prévio de algum assunto mais complexo, para levar nas costas todo o programa (programa esse que obviamente não leva seu nome na URL do cast). Isso não é exclusividade de apenas um podcast (apesar desse fato ser muito mais notório em nerds que se dizem jovens).

    O mérito do Braincast está aí… Consistência nos assuntos,
    praticamente a mesma linha desde quando eu comecei a ouvi-los até agora (o que é bastante tempo), os temas cada vez mais interessantes e convidados que participam para acrescentar um outro ponto de vista e não para dissecar um assunto sozinhos (vide a excelente participação do Denis Pacheco no episódio sobre o EMMY).

    Portanto parabéns a equipe do B9 e continuem com excelente trabalho!!!

    Pra não dizer que não comentei nada sobre o último episódio…
    Achei excelente o vislumbre de futuro que o Sr. Maron explanou a respeito da coleta de dados por meio de gadgets e aplicativos para montar uma “timeline” de condição clínica de um indivíduo. Apenas para complementar essa ideia, deixando um pouco de lado as vantagens individuais desse plausível avanço. Eu imagino o quanto indiretamente isso seria benéfico para toda a sociedade, evitando filas e horas de espera em prontos-socorros, que agora sim, seriam utilizados apenas
    por pacientes com quadros de urgência reais e não por gripes, diarreias e etc., que seriam triados muito antes do camarada pensar em sair de casa.

    Mais uma vez obrigado e uma abraço a todos!

  • http://wmitrut.github.io/ Wellington Mitrut

    Ótima discussão sobre a quantificação e como ela pode nos afetar (pro bem e pro mal), parabéns.

  • http://www.lucasfranco.com.br Lucas Franco

    E aí Braincasters! Bacana?

    Sou Lucas, programador, moro em BH e acabei de colocar o pão de queijo no forno.

    Não me lembro quando comecei a acessar o Brainstorm9, mas sei que já troquei comentários com o Merigo no post Milk Gone Wild de 2006. Também estava na platéia do maravilhoso (ou não) InterMinas 2008 onde vi Merigo e Cris Dias de perto (que emoção). Não precisa falar que acho tudo excelente né?

    Só queria tentar deixar algumas coisas pra gente pensar sobre alguns medidores de vida. Temos a tendência de seguir o modelo biomédico (o modelo americano de saúde) onde se foca exclusivamente na doença e não considera fatores externos como influenciadores. Um aplicativo pode apontar um possível estresse e informar quais alimentos comer e quais atividades fazer. Porém ele não sabe que o vizinho do sujeito foi assassinado na porta de casa, que a crise atual colocou seu emprego em risco e que a mãe, que mora no interior, acabou de se descobrir com um câncer. Ou que para ir ao cinema ou ir a um parque relaxar ele precisa pegar 3 ônibus já que a região onde mora não oferece opções de lazer.
    Como programador sou entusiasta destes aplicativos todos. Mas é preciso pensar além. E o não pensar além pode ser perigoso ao dar falsos diagnósticos para o usuário.

    Bom, grande abraço a todos! O pão de queijo assou!

  • http://eduardoquagliato.com/ Eduardo Quagliato

    Epa epa epa!
    Eduardo, programador de Curitiba, 23 anos.

    Não vi o artigo que o Maron comentou sobre o 23andme na Wired (tem até uma olhada nas últimas edições mas não encontrei), mas li um bem legal sobre na New York Magazine: http://nymag.com/news/features/23andme-2014-4/

    A realidade é que a família Brin vem trazendo o Parkinson há algum tempo. A mãe de Sergey, Eugenia, foi diagnosticada com a doença, assim como sua tia, Serafima.

    Anne Wojcicki, co-fundadora do 23andme e atual ex-esposa de Sergey, é bióloga e irmã de Susan Wojcicki, a 16ª funcionária do Google e dona da Garagem onde o Google funcionou por algum tempo em Menlo Park.

    Contextualizações a parte, o artigo destrincha melhor as ideias por traz dos 23andMe, seu funcionamento e seu possível futuro. Vale a pena ler por completo.

  • http://soundcloud.com/supervelociraptor Raul Filho

    Qual é o last.fm do merigo?