ANTICAST_POST

AntiCast 137 – O Rei de Amarelo

com Ivan Mizanzuk, Brads e Carlos Orsi

47
notas
0
likes
0
Tweets
0
Pin it
47
notas
0
likes
0
Tweets
0
pin it

Olá, antidesigners e brainstormers!
Neste programa, Ivan Mizanzuk e Brads conversam novamente com o convidado Carlos Orsi, que conversou conosco sobre os Mitos de Cthulhu, dessa vez sobre a obra “O Rei de Amarelo”, do escritor americano Robert Chambers. Relembrado recentemente por causa da série True Detective, “O Rei de Amarelo” é um conjunto de quatro contos, escritos no final do século XIX, que se passam em um universo no qual existe uma peça de teatro que altera profundamente a vida da pessoa que a lê. Uma obra que serviu de influência para grandes escritores, como H.P. Lovecraft, Neil Gaiman, Nic Pizzolatto, entre outros.
E tem promoção valendo uma cópia de “O Rei de Amarelo”! Ouça e saiba como participar!
(Ah sim, e no final temos uma leitura de comentários XIGANTE, referente ao último programa sobre as aventuras de se fazer e orientar TCCs, É praticamente um programa bônus)

>> 0h13min26seg Pauta principal
>> 1h23min18seg Leitura de comentários XIGANTE
>> 2h36min06seg Música de encerramento: “Banana Rejection”, da banda Silent Drive

Download do Arquivo

Workshop ‘Pensar Infográfico’ do Ancara e do Fabiano
pensarinfografico

Um passeio pela história, teoria e prática da produção de infográficos impressos e digitais.
Inscrições | Evento no Facebook | Site

Workshops História da Arte para Criativos do Ivan
Curitiba – 19 de Julho

Hangouts
03 de Agosto
10 de Agosto

NOVA DATA SÃO PAULO: 14 de Setembro
DESCONTO DE R$ 50,00 para os primeiros 10 inscritos!

Links
TCC do historiador Joab Fernandes

iTunes
Ouça o AntiCast no iTunes aqui ou então manualmente: Assine no seu iTunes da seguinte forma: Vá no Itunes, na guia Avançado > Assinar Podcast e insira: feed.anticast.com.br

Redes Sociais
Nos acompanhe no twitter @anticastdesign, na nossa fanpage no Facebook e no Youtube (/anticastdesign). Ou nos mande um email no [email protected] Siga também o nosso irmão @filosofiadesign.

LEIA TAMBÉM
COMENTE
  • Edmar Gomez

    Paulista – Pessoa de origem do Estado de S.Paulo.

    Paulistano – Pessoa que nasceu ou mora na cidade de S.Paulo, a capital.

    Abraço de um “paulista”.

    • http://www.anticast.com.br Ivan Alexander Mizanzuk

      Obrigado pela elucidação, Edmar! Infelizmente eu tenho uma memória de m*rda e não posso garantir que vou me lembrar pra sempre. Mas juro que vou tentar =)

  • Lincoln Souza

    Estava esperando esse episódio do Rei de Amarelo. Além de todas as referências, não encontrei ninguém além de vocês comentar sobre esse livro maldito! Aproveitando a promoção, gostaria de participar dizendo que li o livro da intrínseca e não enlouqueci, será que isso acontece lendo essa versão do Símbolo Amarelo? Hahaha. Abraço, e continuem com bons temas assim como sempre.

  • Matheus Santos

    Como já e costume para ganhar promoções:
    Beccari seu Filho da Puta.

    • Ancara “o Porteiro”

      Que gratuito!

  • http://www.zumbisdecapacete.com.br/ Jonas Felix

    ainda não li nada o Rei de Amarelo… então escutei só o programa bônus =P
    Muito bom =D

  • Maurício Andrade

    Excelente tema! Li o livro e também adorei as notas do Orsi. Me lembrei de contos e livros fantásticos nacionais, como “Noite na Taverna” de Álvares de Azevedo e “As Formigas” de Lygia Fagundes Telles.

  • Caio Martinelli

    Tenho certeza que o que deixa as pessoas loucas é uma “obra” ilustrada da “arte” de Romero Britto, as pessoas na época ainda não estavam acostumadas com tamanho terror e acabam enlouquecendo. O rei está de amarelo, pois, amarelo é a cor predominante em Romero Britto. Está solucionado o motivo das pessoas enlouquecerem.

  • Guilherme Brito

    Tem spoiler de True Detective?

    • Rafael Fonteles

      não =]

  • http://caricartunista.blogspot.com/ Robson F. Vilela

    Ótimo tema! Aliás, ultimamente vocês se saído muito bem em temas nerds, porque vão além do óbvio. Anticast e Braincast estão disputando, atualmente, o posto de meu preferido. O Nerdcast ficou pra terceiro lugar…

    Outra coisa: 7.000 ouvintes? Considerando-se a maioria dos temas, é muita gente, mas espero que venham mais.

    Sobre o tema em si: não li o livro, mas fiquei com vontade de ler pelo menos um conto pra sentir o clima. O conto do Orsi também me deixou curioso. Assisti “True Detective” e apenas a citação do livro no seriado não foi suficiente pra eu ir atrás da obra, mas depois do Ivan falar tanto, e depois deste programa, fiquei intrigado.

    E, por fim, me deu vontade de ler também o livro de RPG “O Chamado de Cthulhu”. Nunca joguei RPG, mas já li alguns livros no passado e me divertia muito conhecendo mundos e personagens, mesmo estando eles fora de uma saga.

    PS: E a continuação dos episódios de “Black Mirror”? Cadê? Estava indo tão bem. E o episódio do Olavo de Carvalho? Aliás, Ivan, fui eu quem te enviou o link para o livro “A Filosofia de Olavo de Carvalho” no tuíter há algum tempo.

    PS2: Enche o saco do Orsi aí pra gravar esse RPG. Vai ser divertido.

    PS3: Nem vou falar nada sobre o livro que vão sortear. Da última vez você, Ivan, disse pro Beccari falar uma letra e ele disse “R”. Pensei: meu nome começa com “R” e… Mas antes de completar meu raciocínio, você diz que não gostou do “R” e deu o prêmio para alguém que você mesmo escolheu. Então, sei que vai ser a mesma coisa…

    Abraços!

    • http://www.alexnunes.com.br Alex Nunes

      Robson, também estou esperando o episódio do Black Mirror e
      do Olavo de Carvalho.

      Já imaginou que genial seria, se algum dos ouvintes designers fizesse um quadro no estilo Romero Brito com alguma citação do Olavo de Carvalho, e desse de presente para o Ivan colocar na sala da nova casa reformada?

      Indiscutivelmente uma coisa que ele iria adorar hehehe.

      Como eu não sou bom com essas coisas, deixo apenas este
      comentário maroto para concorrer ao livro.

      • http://www.anticast.com.br Ivan Alexander Mizanzuk

        HAHAHAHAHAHAHA

        • Ancara “o Porteiro”

          Hahaha ia ser massa se o Ivan fizesse uma tatuagem no braço Olavão, Romerito, filosofia e arte amor eterno s2

          • http://caricartunista.blogspot.com/ Robson F. Vilela

            Hahaha, seria ótimo! Até consigo visualizar!

      • http://caricartunista.blogspot.com/ Robson F. Vilela

        Grande ideia! Hahaha!

    • http://caricartunista.blogspot.com/ Robson F. Vilela

      Esqueci de dizer: sou formado em Letras e acho difícil montar um curso superior só de literatura. Não sei lá fora, mas aqui no Brasil a linguistica é necessária para auxiliar na compreensão da literatura. Só de lembrar que a literatura é um trabalho com a língua já é suficiente pra me convencer disso, apesar de reconhecer que nem todas as disciplinas de linguística em meu curso foram assenciais para a compreensão literária.

      Tenho ainda uma sugestão de pauta: um programa sobre o Romantismo, afinal, porque insistimos em ser românticos mesmo sabendo que esta ideia deveria ter sido abandonada? Ou será que não?

  • http://notasurbanas.blog.com gabriel

    Melhor comentário: “em São Paulo acontece tudo, mas ninguém fica sabendo. E se fica sabendo, é do outro lado da cidade…”

  • bigode do comissário

    O rei de amarelo veio me falar, que se vcs não escolherem sua vida ele vai assombrar. um sonho eu tive e em carcosa estive, lendo o livro do rei amarelo que ao tempo sempre registe

    • Algurize Já, Algurize Já

      Volta pro reduto, perdida.

      • bigode do comissário

        veio me buscar?

        • Algurize Já, Algurize Já

          Vi sua foto lá na veterinária e ficamos preocupados.

  • Lucas Rafael Ferraz

    Ótimo cast! Gostei muito de ouvir mais sobre o Rei de Amarelo.
    Entrei em contato com a obra através da seleção que a Editora Draco está fazendo para uma antologia em quadrinhos baseadas nos contos do Chambers. Comprei o livro da Intrínseca e devorei. Os comentários e análises do Orsi foram muito elucidantes.
    Acabei escrevendo um roteiro de HQ e um conto, que não era para ser baseado no Rei mas acabou sendo tomado por ele no meio do caminho.
    Foi meu primeiro Anticast, curti o estilo de vocês! Vou iniciar a maratona para ouvir mais episódios pregressos.

  • Guest

    O rei de amarelo rs

  • Ivan Prado

    O segundo ato do Rei de Amarelo é o Pelé dizendo que é o Jo Soares para uma piranha.

    • Ancara “o Porteiro”

      HAHAHAHAHA!!!

    • http://caricartunista.blogspot.com/ Robson F. Vilela

      Hahaha, boa!

  • Leo Pires

    Urrei de amarelo! Vou enlouquecer se não ganhar esse livro!

  • frizzaro

    Aquele momento em que a arte do AntiCast está infinitamente melhor que a capa meia boca da Intrínseca…

    • http://www.brads.com.br Brads

      Opa frizzaro, blz?
      Claro que envolve uma questão de gosto pessoal, mas vou defender a capa da Intrínseca com uma breve história que acabei comentando com o Ivan em off durante o programa.
      Estava pesquisando imagens sobre o Rei Amarelo (para um projeto futuro de quadrinhos) e fiquei curioso sobre o ilustrador da capa. No livro, o nome dele aparece como @Zlayerone, o que eu descobri ser o nome do seu Deviant Art. Lá ele explica que desde que a série True Detective começou a fazer sucesso, diversos blogs e sites começaram a usar a imagem dele sem direitos autorais, e ela se espalhou pela internet. Finalmente, um editor americano e o editor da Intrínseca entraram em contato para comprar os direitos e usar nos livros. Quanto ao estilo da ilustração, ele explica que se baseou nos desenhos de um artista chamado Aubrey Beardsley (aconselho procurar sobre ele, são desenhos muito fodas!).
      E o Aubrey fez uma ilustração parecida com essa adivinha pra que capa de livro? o livro Salomé, do Oscar Wilde! que é citado no programa como uma possível fonte da peça do Rei Amarelo. Logo o desenho da capa se encaixa exatamente no tipo de ilustração que era feita na época em que o Chambers escreveu o livro, e ainda faz uma referência a peça Salomé.

  • Adriano Beringuy

    Eu entendo que o processo de evolução pessoal do Ivan fez com que preocupações banais como edição e organização fossem deixadas de lado. A qualidade dos assuntos e dos participantes faz com que sirenes, latidos e ânsias de vomito não tenham importância e não prejudiquem a experiência do programa… Mas se não for muito trabalhoso, será que você pode votar a usar tags nos arquivos, por favor? Contando só os episódios que eu tenho no celular, os arquivos aparecem em três álbuns diferentes. Teve uma época (bons tempos) que no arquivo vinham marcados o título (AntiCast “nº” – “título”), gênero (podcast), artista e álbum (anticast), compositor (Ivan Mizanzuk) e a arte da capa embutida… Mas se não for conveniente, paciência.

    E aproveitando o tema, no Anticast sobre True Detective, acho que foi o Ivan que indagou sobre a possibilidade de, na nova temporada, haver uma repetição da fórmula (de um indivíduo com crenças niilistas que só não se suicida por seus instintos de sobrevivência) ou adoção de uma nova, completamente diferente (que possivelmente seria prejudicial, já que grande parte da importância da série deve-se às questões filosóficas geradas pelo Cohle). Porém, caso o rumor quanto a presença do Brad Pitt se concretize, podemos especular sobre a criação de um novo personagem que seguiria uma linha “p*rra-louca” ao invés de uma pessimista. Na minha opinião, um detetive Tyler Durden geraria ótimas discussões sem que fosse necessário ficar botando um “substituto do Matthew” a cada temporada.

  • Jorge Monteiro

    Opa, não sei se comentaram isso, mas imagino que no seriado True Detective, aquela cena do “vídeo proibido, censurado” poderia ser uma especie de encenação do próprio Rei de Amarelo e por isso não é mostrada. E ainda causa uma reação profunda naqueles que assistiram seu conteúdo.
    Sim, acrescentando mais relações à ideia da cor “amarela”, naquele período de tempo, final do século 19, também tinha a imprensa amarela, que faz analogia a nossa imprensa marrom, ao qual tinham muitos textos sensacionalistas e de teor duvidoso, a única coisa de interessante que veio desses jornais foi o Yellow Boy, que foi um elemento de grande importância para os quadrinhos ocidentais.

  • Ser Complexo

    comentário mais legal

  • Marcello

    Comentário Amarelo

  • Brayan Carvalho

    Quando o Ivan propôs ao Carlos fazer uma edição do AntiCast sobre “O Rei de Amarelo” tratei de comprar a edição da Intrínseca e li os contos à espera desse momento. Ficou muito bom, tanto o trabalho da editora/do Carlos no livro quanto o programa. Parabéns mesmo!

    Quanto ao universo do Chambers, uma coisa que a leitura dos contos me fez notar é que em momento algum os personagens falam sobre o autor da peça, apenas do quão perturbador é o texto. Isso é curioso, se a gente pensar que os protagonistas dos contos são artistas ou pessoas envolvidas em atividades culturais – ainda que não fique explícito, dá pra notar isso pelo comportamento do narrador, seus hábitos, suas observações. Ou seja, essas pessoas não ignorariam tão simplesmente o autor daquela obra tão horrenda.

    Longe de querer bancar o crítico literário, mas levanto a hipótese de que nesse universo a peça funciona como o projeto decadentista pleno, como disse o Carlos, e que a “inexistência” do autor seria justamente a confirmação de que o objetivo foi alcançado. Mais importante do que saber se isso é uma defesa ou uma crítica à literatura decadentista, o mais legal, pelo menos pra mim, é pensar que o Chambers está falando de um artista fictício tão singular que conseguiu dissolver a sua autoria (tão valorizada nas artes após o fim da Idade Média), e que tem sua obra lida por pessoas que estão em busca da sua própria identidade – religiosa, moral, social, existencial, enfim. Daí viria a loucura: o choque de ler uma obra de arte tão impressionante que você se esquece de que aquilo foi feito por alguém, e a “verdade” desse texto faz com que você mesmo se esqueça de que é alguém, ou não se importe mais com quem você é como sujeito. Será que o Beccari aprova essa ideia? hahahah

    Só pra finalizar: já cogitaram a possibilidade de o universo de True Detective ser também o universo do Chambers? Todos os envolvidos nos crimes seriam leitores da peça e o cara das cicatrizes poderia ser alguém que assumiu a personagem pra si – o Jorge Monteiro especulou ali no comentário dele que o “vídeo proibido” seria um trecho da encenação da própria peça. Assim, os crimes seriam um pouco do que o segundo ato do texto original revelaria de tão absurdo que nenhum personagem dos contos do Chambers tiveram capacidade de narrar. O Rusty seria a faceta decadentista/niilista do seriado e o Marty a moralidade cristã, ambas desenvolvidas nos contos. Daria pra desenvolver mais, mas vou parar por aqui senão não paro, uhahuauhua

    Como podem ver, esse programa me deixou empolgado.
    Peço desculpas pela postagem extensa (!) e parabéns mais uma vez. O AntiCast é, de longe, meu podcast preferido, o nível das discussões é nunca menos que excelente! Um abraço!

  • Paulo

    Caramba! Muito bom o programa e, principalmente, essa sessão de comentários.

  • Bizarro

    Um filme que lembra muito essa ideia de “encenar um ato e enlouquecer quem ver” é o “A beira da loucura (In the mouth of madness” do John Carpenter. A sinopse é que um escritor (um análogo do Stephen King) aparentemente some e um detective particular é pago para encontra-lo. Paralelo a isso, seu ultimo livro começa vagarosamente a enlouquecer algumas pessoas, culminando no final do filme que SPOILER—–é realizado um filme sobre o livro, ao qual transforma todos seus espectadores em homicidas, ditando assim o fim da sociedade civilizada e por fim, o termino da humanidade”. Filme interessante.

  • Digital Bat

    Fiquei muito intrigado com esse Rei Amarelo em True Detective. Não conhecia, mas agora quero muito ler… aliás, acho que o Chuck Palahniuk teve alguma influência com o seu “Cantiga de Ninar”, livro altamente recomendável! Não sei se falei besteira, gostaria de ganhar o livro para poder afirmar ou não! =P
    Aliás, adoraria um Anticast sobre Chuck Palahniuk!! E parabéns, vocês desbancaram o Nerdcast e o Braincast na minha preferêcia!

    • Leo Pires

      Tb lembrei na hora do Cantiga de Ninar, ao ouvir sobre o Rei de Amarelo. Parece ser a mesma pegada.

  • Digital Bat

    Fiquei muito intrigado com esse Rei Amarelo em True Detective. Não conhecia, mas agora quero muito ler… aliás, acho que o Chuck Palahniuk teve alguma influência com o seu “Cantiga de Ninar”, livro altamente recomendável! Não sei se falei besteira, gostaria de ganhar o livro para poder afirmar ou não! =P
    Aliás, adoraria um Anticast sobre Chuck Palahniuk!! E parabéns, vocês desbancaram o Nerdcast e o Braincast na minha preferêcia!

  • Digital Bat
  • Isabella Franco Capanema

    Caríssimos, conheci o Anticast há alguns meses e me encontrei (ou me perdi?) em suas discussões e maluquices. Hoje faço plantão no B9 todas as quintas, esperando por novos episódios. Gostei do programa logo de cara devido aos temas que são abordados, permeando muito minhas experiências como “a menina que faz as artes da gráfica” já há alguns anos, ex estudante de História (que amava as disciplinas filosóficas e metodológicas), apaixonada por literatura e, atualmente, feliz estudante de Arquitetura. Pois é.
    Obrigada pela companhia que me fizeram nos últimos meses enquanto eu trabalhava em inúmeras maquetes, pranchas e afins para a faculdade ou enquanto brinco de arte finalista na gráfica em que trabalho. Hoje sou fã e vez ou outra apresento o programa para coleguinhas, recebendo excelentes feedbacks de quem assiste :)
    E, por último, mas não menos importante, mereço ganhar o Rei de Amarelo por ouvir episódios antigos repetidas vezes enquanto aguardo os novos. A espontaneidade dos Anticasters, especialmente de Ivan e Beccari, e a edição “despojada”, fazem a minha diversão. Abraço para vocês, vida longa e próspera ao AntiCast!

  • Daniel Ishigaki

    Ivan: “Qualquer coisa que você escrever ninguém fica louco de verdade”.
    Caro Ivan, leia comentários dos portais de notícias e eu te desafio não ficar louco com o que se escrevem por lá.

    • http://www.anticast.com.br Ivan Alexander Mizanzuk

      Touché!

  • Douglas Oliveira

    Pessoal mais Black Mirror por favor. Ótimo cast, obrigado.

  • Sonia Oliveira

    Estava com receio de ouvir caso tivesse spoilers de True Detective – que ouvi falar pela primeira vez aqui mesmo. Então atrasei a “ouvida” do podcast, ainda bem que não muito, espero que ainda dê tempo de levar o livro!!! É muito bom ouvir esse não sotaque curitibano (porque curitibano não tem sotaque, eu nasci aqui e não tenho sotaque… igual vocês!) em podcasts e ouvir falar de coisas daqui e aqui! Provavelmente andamos pelos mesmos círculos, o Álvaro foi a pessoa que me deu um super apoio pra cursar Jornal (que eu completei, mas acabei cursando Direito depois…), conheço o pessoal da Arte e Letra, enfim, vocês soam tão familiares que aposto que temos amigos em comum! Seria a Lívia, do Lívia e os Piás de Prédio? Não? Se não for, vão atrás, curitibana da gema! Bjos e parabéns pelo trabalho, virei fã!