ebook

Editoras nos EUA já ganham mais com ebooks do que com livros

Lucro obtido com livros digitais já ultrapassam o gerado por livros impressos

5
notas
0
likes
0
Tweets
0
Pin it
5
notas
0
likes
0
Tweets
0
pin it

Uma estimativa realizada pela BookStats revelou que as editoras norte-americanas já registram lucro maior com a venda de ebooks do que com a comercialização dos livros de papel.

Segundo a empresa, ebooks geraram 7,54 bilhões de dólares de lucro para as editoras, mais do que os 7,12 bilhões obtidos com a venda de livros tradicionais. A diferença é bem pequena, mas demonstra que aos poucos os leitores vêm se acostumando com a praticidade de a velocidade da aquisição de livros digitais.

É uma pena, contudo, que isso não dê mais fôlego para os negócios de quem trabalha com edição de livros. Apesar do aumento de 10% nas vendas de ebooks, a receita das editoras se manteve estável entre 2012 e 2013, provavelmente devido ao preço menor dos livros digitais.

ebooks-eua-revenue

A BookStats, no entanto, faz questão de frisar que o interesse em ebooks pode ser ainda maior, já que ela contabiliza apenas livros que possuem ISBN, o que não inclui livros publicados pelos próprios autores através de plataformas oferecidas por empresas como a Amazon e a Barnes & Noble, que permitem a comercialização de títulos sem a necessidade de um registro.

VIA Engadget
LEIA TAMBÉM
COMENTE
  • Arlys Souza

    As editoras não ganham dinheiro porque são incompetentes.
    Se eles vendessem o livro de papel e desse ao usuário uma cópia digital, é certeza que as vendas não cairiam. As pessoas gostam da praticidade do livro digital, mas também gostam de ter sua prateleira cheia de livros, mas dificilmente as pessoas comprariam os dois. Aí optam pelo mais prático.

    • Eduardo Leopold

      Concordo, isso eliminaria essa disputa desnecessária digital vs impresso.

  • Andres Calil

    Só pra ser Sheldon Cooper, quem fez essa imagem errou na ordem dos fatores… Um dos dois textos tinha que estar sendo escrito (ou destruido) de cima pra baixo… :p

  • Letícia Lira

    A matéria em inglês não diz isso. O faturamento foi maior na venda de livros online (digital + áudio + impresso) do que nas livrarias físicas e não somente eBook. Tem que rever isso aí.

  • Flavio

    acredito que a indústria dos livros está passando por uma revolução da mesma maneira que passaram as indústrias do áudio, vídeo, fotos… e os devices (kindle, e-readers), serviços (oyster) e plataformas sociais (www.widbook.com) estão ditando essa revolução.