Moleskine: Van Gogh pagaria por um?

32
notas
0
likes
0
Tweets
0
Pin it
32
notas
0
likes
0
Tweets
0
pin it

Creative Commons License foto: Amir K.

Há cerca de dois anos atrás, minha mulher – que conhecia meu fascínio pela obra de Van Gogh – me deu um Moleskine de presente. Imaginem minha cara quando li o tag da capa dizendo “the legendary notebook of Van Gogh, Matisse, Hemingway and Chatwin. Fui a loucura! Comecei a folhear, sentir o tato áspero daquele papel e delirar: “- Será que foi aqui que ele desenhou ‘Sorrow’?”, “- Ou ‘Os Plantadores de Batata’?”. Fiquei tão impressionado com aquele presente que demorei meses para tirá-lo da gaveta. Não tinha coragem de escrever nada nele! Não me sentia digno o suficiente para ousar rabiscar algo ali, saca?

Até que, deixando a bobeira de lado, recentemente comecei a usá-lo. E, de fato, é um bom caderno. Pequeno e com ótimo acabamento (pontas arredondadas, capa dura, bem revestido, com o tal do elástico, etc). Mas ainda assim o meu alter-ego-mão-de-vaca sussurava se aquilo realmente valia os 80 mangos que minha mulher pagou. Pombas, bixo! Van Gogh que me perdoe, mas é só um caderninho, tô certo?

Entrei na internê pra pesquisar e descobri que uma empresa italiana teve o insight de relançar, na década de 90, um lendário caderninho francês, que havia sido descontinuado muitos anos antes. Caderninho este, que no passado serviu de suporte nas mãos grandes artistas, escritores e afins. E qual não foi a minha surpresa quando descobri que essa releitura foi catequizada, batizada e coroada como Moleskine?

A verdade é: fake ou não, foi uma idéia fantástica. Pra se ter noção, hoje a empresa ultrapassa os U$200.000.000,00 de faturamento, e possui escritórios em Milão e Nova Iorque. As lojas são convidativas e os produtos, embora “só” cadernos e agendas, são super criativos e atuais. Seja pela belíssima paleta de cores, pelos temas de diversas cidades ou mesmo pelos formatos diferenciados. Hoje a fabricação é chinesa (coisa que irritou alguns fãs da marca). Mas, convenhamos, parece uma decisão inteligente: além do lucro aumentar, os chineses são os inventores do papel. Melhor do que isso, só se viesse com um rolinho primavera dentro!


Creative Commons License foto: Patrick Ng

É óbvio que seria audácia dizer que um caderno serve como plataforma para a criatividade. Se um Crybaby não te torna um Jimi Hendrix, não será um caderninho que fará de você um Pablo Picasso. No entanto, diversos ilustradores, diretores de arte, designers, escritores e poetas parecem se sentir atraídos e inspirados por essa marca. A prova disso são as centenas de sites e canais no YouTube, com apresentações do conteúdo de Moleskines finalizados pelos seus proprietários. Saca só o que esse italiano, de Turin, fez para registrar sua viagem a Turquia:

E tem mais: olha só esse grupo no Flickr, só com criações em Moleskine.

Uma coisa é fato: Van Gogh, pobretão como era e sustentado pelo irmão, jamais compraria um pelo preço que oferecem no mercado de hoje.

E você? Pagaria essa grana por um caderninho desses?

LEIA TAMBÉM
COMENTE
  • Gabriel

    Eu tenho um e ainda bem que a empresa paga sempre que preciso é só pedir e o departamento de compras se vira pra trazer um na minha mesa, vê se alguma agência faz isso.

  • Lara

    Aqui no Brasil eles chegam super caros, mas não dói tanto o bolso quando comprados lá fora.

  • http://www.facebook.com/felipeelioenay Felipe Elioenay Ameta

    Nemfodendo. Mas eh um belo caderninho huauah

  • http://twitter.com/dandansama Dandansama

    Entãaaao… evite comprar Moleskine no Brasil por causa desse preço absurdo. Comprei o meu na Amazon e saiu 30 reais (contando com envio). Pessoal no Brasil com seus famosos 200% de lucro só desmotivam os artistas. É só pesquisar um pouco e ver quanto sai um estojo de pastel seco Rembrandt no Ebay, por exemplo.

  • http://www.facebook.com/camilovitorino Camilo Vitorino Da Costa

    Eu tenho um. Comprei e me orgulho! É um luxo? É! Mas vale totalmente apena. A qualidade do papel, a qualidade do couro da capa. a durabilidade, etc etc etc…
    Nenhum "caderninho" se compara

  • Duke

    existe um genérico, da marca "Cícero" que custa menos da metade do preço e é tão bom quanto o moleskine original.

    • Rafael

      Ae Duke! É desse que eu compro. Mesma coisa, mesmo acabamento, mesmo tudo. A única coisa que não é o mesmo é o preço.

  • http://www.flickr.com/raphaelgonzalez Gonza

    Pagaria não, pago. Entretanto não compro no Brasil, exceto uma vez.
    E com relação a ter que abrir o Moleskine e pintar uma Monalisa sempre, é em partes culpa do preço que se paga aqui no Brasil, ou você vai querer jogar no lixo R$2,30?
    É fod@a pensar assim, mas uma vez comprei um moleskine para aquarela aqui não paguei barato é me senti com a obrigação de só desenhar coisa legais nele, bobeira no final das contas quando você se solta nem liga, mas que existe uma barreira psicológia nesse aspecto eu acredito que exista sim.

  • http://www.facebook.com/fabioer Fabio Eduardo Ribeiro

    Eu to querendo um faz tempo! O produto é muito bom, mas 80 pila eh osso!

  • http://www.murilocampos.com/blog Murilo Campos

    é a apple dos cadernos auhauhau
    já testei dezenas de cadernos, folhas, pastas tudo com intuito para desenho.. ainda prefiro um caderno maior, pois acho mais confortavel de apoiar no corpo e desenhar.

    o barato do moleskine é o tamanho dele.. vc tem que pensar com um canvas menor.

    mas a qualidade em si nao vale 80 reais..
    quem compra e fala "vale cada centavo" é a la fanboy da apple ;D
    com todo respeito !

    abs

  • http://www.anailustra.blogspot.com Anna Monteiro

    Sem querer parecer arrogante,mas acho mais sensato e econômico vc mesmo fazer o seu. Eu faço tudo meu,desde cadernos pra faculdade,passando por agendas até um Sketchbook, tudo do zero…acho que a gente se envolve em dobro com o nosso lado criativo,estimulando-o bem mais, e claro, gastamos uns 50 reais a menos ,isso juntando a criação desses 3 exemplos aí que dei.

    • Flá

      Concordo com você, Anna. Três garotos aqui da agência são loucos pelo Moleskine, que nunca chamou minha atenção. Prefiro muito mais fazer os meus projetos e minhas ilustras no caderninho que eu fiz que, somando o Paraná, o ColorPlus, as folhas sulfite, o wire-o e o adesivo que recortei na plotter pra colar na capa, deve ter me custado uns 6 reais. =)

      • claytondp

        Como vcs fazem para produzir os próprios cadernos? Fiquei morrendo de curiosidade :P

        • Flá

          O meu caderno eu fiz com wire-o porque tenho preguiça de costurar as páginas. Então fiz a capa e a contracapa com pedaços de Paraná encapados com papel ColorPlus e o miolo é feito com folhas de sulfite A4 cortadas na metade, da 14,3 x 21cm… é muito muito fácil de fazer e o legal é que voce pode personalizar como quiser e ainda tem a satisfação de ter feito o próprio caderno.
          Costurar as páginas também não é difícil, mas dá muito trabalho, então você pode fazer a capa mole com lombada quadrada e colar as páginas, mas tem que ter paciência, senão o acabamento fica ruim…

  • Ricardo

    Essa pergunta só faria sentido se Van Gogh tivesse que pagar impostos brasileiros. Na Europa um Moleskine custa tanto quanto um combo de panino + coca-cola.

  • karine

    O preço do moleskine aqui no Brasil é realmente abusivo. Sempre compro um quando viajo e deixo guardado para usar. Como já disseram, o preço lá fora é bem melhor e tem aqueles moleskines especiais como o do Pacman e do Snoopy (adolescente mode: on).

  • beatonrepeat

    Belo texto!
    Acho que ele não pagaria… Mas eu já paguei, admito.
    :P

  • http://www.facebook.com/ricardopilat Ricardo Pilat

    Assim como o autor desse texto, tenho um moleskine há 1 ano e até hoje não tive coragem de usá-lo, hauhauahuahauha

  • diversita

    Não só compraria, como compro. Na verdade eu ganho mais que compro. Ganhei 4 originais Moleskine ao todo (tradicional, pocket, film journal e van gogh) e 2 ou 3 imitações. Acho comprar mesmo foi só 1, que dei de presente.

    Mas o fato REALMENTE CURIOSO é que a Moleskine lançou recentemente a série Van Gogh, usando seda nas capas. Ganhei um amarelo da série e é bem bonito, a seda é de verdade.

    Gogh não compraria esse, porque é caro do mesmo jeito.

  • renata

    a acabamento do Moleskine é incomparável, você o abre em qualquer página e ele nem se abala, continua plano. isso facilita muito a vida. eu como jornalista uso toda hora, e como sempre temos uma mão só à disposição, é muito bom que o acabamento seja tão bem feito.

    no Brasil ele custa tanto porque é importado, mas na Europa compra-se Moleskines a preço de cafezinho. Existem algumas marcas brasileiras que tentaram imitá-lo (sem muito sucesso). A marca Cícero e a própria Tilibra, que tem uma linha de sketchbooks interessante, mas não chega nem perto da qualidade do acabamento, da gramatura e textura do papel, da capa, etc.

  • http://www.facebook.com/narie.endo Narie Cristine Braz Endo

    adoro!!!

  • http://www.designinabox.nu Tiago Pimentel

    Tenhos alguns. Sinceramente só compraria o de aquarela, por causa do papel. O normal, de folha amarelada é bem ruim e não permite o uso devárias técnicas além de que vaza de uma página para outra como se estivesse utilizando um a4 75gramas. Lá fora realmente é bem mais barato e até compensa pelo "glamour" de ter um. Aqui no Brasil há cadernos muito mais interessantes. Por exemplo: http://www.flickr.com/photos/zoopress_studio

    [ ]s

  • http://twitter.com/diegomarangoni Diego Marangoni

    Com esse preço dá pra comprar uns 2,3 livros.Então: NÃO!!!!!

  • Luka

    A sua digníssima esposa estava comigo quando comprei minha agendinha Moleskine deste ano… ok… o Van Gogh não usaria verde limão, mas eu uso… e acho tudo… e cabe tudo… e cabe em todas as bolsas… e é perfeita! Valeu os 40 reais… e o seu Moleskine continua sendo mais bonito e com ilustrações mais bonitas, Saulinho!

  • Igor

    Ah, 20 reais é ok… NOT! Cara, uma vez comprei por 17 e fiquei chorando (e nunca mais fasso uma sandice dessas) quem diria por 80 mangos.

  • wilton

    Queria comprar esse modelo do "Van Gogh", alguém me passa o modelo? E se tiver o link ficarei muito agradecido.

  • claytondp

    Fiquei louco pra comprar um, mas lendo os comments sobre opções com o mesmo acabamento e preço menor fiquei na dúvida.

  • http://twitter.com/WicCaesar @WicCaesar

    Já paguei por um, mas agora eu uso Moleco. São como moleskines, mas de papel reciclado e fabricados aqui no Brasil mesmo. O preço é justo e eu compro até para presentear.

  • Larissa

    Agora existe o Moleco (www.moleco.com.br).. digamos que um "Moleskine Tupiniquim". Ainda não adquiri o meu, mas muitos estão dizendo que é muito bom, um pouco menor e mais fino que o original, mas que a gramatura do papel é muito boa!

  • Amanda Nespoli

    Não fico sem meus moleskines. Uso há 5 anos e sempre trago de viagem ou peço a algum amigo para trazer de fora. Nunca comprei no Brasil. Lá fora, sai mais barato que um caderno de 10 matérias aqui no Brasil. A qualidade é excelente!

    Amanda Nespoli

  • Abel

    Sem ser esquerdista ou recalcado, mas são pessoas fúteis e sem sentido comprar esse caderninho por até 89 reais… Lucro de 500% em relação ao original, assalto em livrarias como a saraiva.

    Posso pagar tranquilamente, mas vale esse preço um punhado papel e capinha de couro sintético? Parece-me futilidade e frescura, o que vale são as idéias.

    Para os "artistas" de plantão, mais vale fazer o próprio livro e se envolver na confecção ou pagar um artesão para fazer algo realmente bom, por até menos que o preço do moleskine.